Hello folks! How are you today?

Antes de começarmos a lotar este blog de conteúdos para o estudo do inglês, algo muito necessário é sabermos como avaliar nosso nível de inglês. Você nem precisa ter feito um curso de inglês pra ter algum nível no idioma, ainda que seja iniciante ou básico – no fundo nós sempre sabemos alguma coisa ou outra, seja o que aprendemos na escola regular ~verbo to be~, seja o que adquirimos pela internet e afins.

Qual é o nivelamento usado no GE?

O conteúdo do Geekin’ será dividido por níveis específicos pra ajudar você a encontrar o conteúdo certo para aquilo que você já sabe e como ponto de partida para nortear seus estudos. Para isso, o GE irá se basear no Common European Framework of Reference for Languages – o CEFR. O nivelamento do CEFR é amplamente utilizado mundo afora, em cursos de intercâmbio, certificados de proficiência e também utilizado pelas principais escolas de inglês no Brasil e exterior.

Ele define básico, intermediário e avançado em sub-níveis, não baseados em gramática, mas sim naquilo que os alunos conseguem fazer nas quatro competências linguísticas: ler, ouvir, escrever e falar. Os níveis básicos são A1 e A2. Os intermediários são B1 e B2. Os avançados são C1 e C2.

Olhando assim até parece simples, mas não é.

Como funciona o Quadro Comum Europeu – CEFR?

O CEFR classifica os níveis como usuário básico da língua. A partir daí há as ramificações A1 e A2, onde A1 é iniciante e A2 é básico.

A1 – Pode entender e utilizar expressões familiares do dia a dia, bem como frases básicas direcionadas a satisfazer necessidades concretas. Pode se apresentar e responder perguntas sobre detalhes de sua vida pessoal como, por exemplo: onde vive, pessoas que conhece ou coisas que possui. Pode ainda interagir de maneira simples com nativos desde que estes falem pausadamente, de maneira clara e que estejam dispostos a ajudar.

A2 – Pode entender frases e expressões relacionadas a áreas familiares ao usuário, como informações pessoais e familiares básicas, compras, geografia local, emprego. Pode se comunicar de maneira simples em situações familiares que requerem troca de informações curtas e precisas. Pode descrever de maneira superficial aspectos sobre seus conhecimentos, ambiente onde vive e necessidades imediatas.

Aqui há uma observação: como se pode perceber na definição para A1 acima, esse nível já inclui um conhecimento prévio, ou seja, o aluno que é A1 já conhece o básico da língua que o permite cumprir as tarefas da descrição. Portanto, o aluno que não sabe realmente nada de inglês não é A1 – ele é um nível anterior a isso. Eu costumo chamar esses alunos de “Intro” – alunos que estão sendo introduzidos ao idioma e ainda não dominam o que o CEFR fala sobre o A1.

Em seguida temos os níveis B que é o usuário independente do idioma. Os sub-níveis são B1 e B2. B1 é o intermediário e B2 independente.

B1 – Pode entender os pontos principais sobre assuntos do dia a dia como trabalho, escola e lazer. Pode lidar com situações cotidianas no país onde a língua é falada (viagem de turismo). Pode produzir textos simples sobre áreas familiares e de interesse. Pode ainda descrever experiencias, eventos, sonhos, desejos e ambições. Além disso pode ainda opinar de maneira limitada sobre planos e discussões.

B2 – É capaz de entender ideias principais de textos complexos que tratem de temas tanto concretos como abstratos, inclusive textos de caráter técnico se forem de sua área de especialização. Pode interagir com falantes nativos com um grau suficiente de fluência e naturalidade de forma que a comunicação ocorra sem esforço por parte de nenhum dos interlocutores. Pode produzir textos claros e detalhados sobre temas diversos, assim como defender um ponto de vista sobre temas gerais, indicando vantagens e desvantagens das várias opções.

É nos níveis B que os alunos começam a transição entre falar sobre tópicos concretos para tópicos mais abstratos como opinião, sonhos e planos, que demandam interpretação de textos, por exemplo.

Os últimos níveis são os C que caracterizam o falante proficiente. Há então C1 e C2. C1 é proficiência operativa eficaz e C2 é domínio pleno.

C1 – É capaz de compreender uma ampla variedade de textos extensos e com certo nível de exigência, assim como reconhecer nestes, sentidos e idéias implícitas. Sabe expressar-se de forma fluente e espontânea sem demonstrar muitos esforços para encontrar uma palavra ou expressão adequada. Pode fazer uso efetivo do idioma para fins sociais, acadêmicos e profissionais. pode produzir textos claros, bem estruturados e detalhados sobre temas de certa complexidade, mostrando uso correto dos mecanismos de organização, articulação e coesão do texto. Capaz de entender por completo um filme sem legendas.

C2 – É capaz de compreender com facilidade praticamente tudo que ouve e lê. Sabe reconstruir a informação e os argumentos procedentes de diversas fontes, seja em língua falada ou escrita, e apresentá-los de maneira coerente e resumida. Pode expressar-se espontaneamente com grande fluência e com um grau de precisão que lhe permita diferenciar pequenos matizes de significado, inclusive em situações de maior complexidade.

Se formos estudar o CEFR a fundo, vamos descobrir que na prática ainda existem mais sub-níveis (A1.1 – A1.2 e etc) do que esses mostrados aqui. Outro ponto importante de citar é que: é possível termos níveis diferentes de domínio nas quatro competências. Isso significa que um aluno pode ser muito bom em ler, mas bem mais básico ao falar e isso varia muito de aluno pra aluno. Não há nada de errado nisso, somos pessoas diferentes e adquirimos informação de formas diferentes.

Como saber qual é o meu nível?

por aprenderpalavras.com
por aprenderpalavras.com

Acredito que a partir das descrições dos níveis acima, já dá pra se ter uma ideia de onde você se encaixa. No entanto, apenas um teste de nivelamento é que vai afirmar com certeza em qual deles você está.

Todos os alunos que começam a ter aulas particulares comigo são nivelados primeiramente pelo CEFR. Assim eu sei bem o que o aluno já consegue fazer e por onde começar com ele. Para você surfista da web que quer saber como está seu inglês, há o nivelamento da Education First que é de acordo com o CEFR. O teste é todo online e gratuito.

Por que é importante saber meu nível de acordo com o CEFR?

Até alguns anos atrás a questão do nivelamento e distribuição de conteúdo nas escolas de inglês era meio… casa da mãe Joana. Cada escola organizava o conteúdo e os níveis de acordo com a própria interpretação do idioma. Ainda há escolas que trabalham assim, porém é cada vez maior o número delas que estão se adequando à esse padrão. Fora isso, várias empresas internacionais e centrais de intercâmbio se baseiam no CEFR para escolher os candidatos.

Como será no Geekin’ English?

Aqui no GE todo material terá o nível indicado por etiquetinhas nos posts e vídeos. Para aproveitar melhor os estudos faça o seu nivelamento e se atente às tags de nível.

Caso queira um nivelamento presencial, mande um e-mail pra mim. Podemos fazer a sua análise e orçamento de aluno gratuitamente e de quebra eu já conheço você!

Até o próximo post!

-Stay geek!

Acompanhe o Geekin' aqui:
Facebook - Instagram - Youtube